Dalí conhece Alice no País das Maravilhas

Segunda-feira, 25 de fevereiro 01.15 GMT


Dalí conhece Alice no País das Maravilhas


Você pode imaginar Salvador Dalí em turnê ao lado de Alice o país das maravilhas?

Bem, algo assim aconteceu em 1969. Um editor da Random House contratou Dalí para ilustrar uma edição limitada de As aventuras de Alice no País das Maravilhas.

O espécime foi único porque uniu Dalí e Lewis Carroll, dois gênios que com o seu trabalho eles exploraram sonhos e a mente. Infelizmente, essa edição só foi alcançada por colecionadores.

Edição de aniversário

Mas anos depois, no 150 aniversário Após o nascimento de Alicia, a Princeton University Press lançou uma edição comemorativa com um preço mais acessível. Esta cópia inclui o ilustrações que Dalí criou naquele ano.

As pinturas originais, um para cada capítulo, foram elaborados com guache. A capa é uma gravura em quatro tons assinada pelo artista. As 13 peças estão atualmente no Galeria William Bennet Nova Iorque.
A história de Alicia em si é bastante surreal, mas o encontro com Dalí torna muito mais interessante.

As imagens certamente contrastavam com as referências visuais que você tinha da história. O caracteres dos Dalí são muito mais abstratos e, claro, a sua relógios icônicos.

Além disso, esta edição material extra: uma introdução ao Marcos Burstein que explora a relação entre o escritor e o artista, e a investigação de Thomas Banchoff quem encontra a matemática nas ilustrações.

Assim, o livro, narração e imagem, consegue nos aproximar dos reinos da inconsciente. Por isso acreditamos que perseguir o coelho branco pela mão de Dalí representará um duplo Aventura.

"Eu não quero ficar louco", disse Alicia. "Oh, você não pode fazer nada", respondeu o gato, "somos todos loucos aqui".